Cedoc Unesc lança livro “Memórias e Identidades”

Em busca de resgatar a história e a cultura do Estado, o Cedoc (Centro de Memória e Documentação), lança o livro “Memórias e Identidades”, no dia 19 de março. O Cedoc distribuirá mil exemplares da obra para bibliotecas e munícipios da região e algumas entidades de Santa Catarina. O livro estará disponível também em formato de e-book, gratuitamente, no portal Unesc.

Antes do lançamento oficial, representantes do Cedoc (Centro de Memória e Documentação) entregaram para a reitora da Unesc, Luciane Ceretta, os primeiros exemplares de “Memórias e Identidades”, em um encontro na terça-feira (6/3).

O objetivo do livro é registrar e cartografar as áreas ambientais de toda a região que sofreram com a extração do carvão mineral. Outro ponto abordado, são os detalhes das atividades realizadas nas minas no seu tempo de funcionamento, bem como resgatar a história do local e a atual situação dele como patrimônios culturais.

O projeto foi organizado em parceria com o coordenador do Cedoc, Paulo Sérgio Osório e a professora Marli de Oliveira Costa.

Segundo a organizadora, a obra tem com o principal objetivo despertar a responsabilidade cultural. “Ele serve para sensibilizar para a preservação destes locais. Eles são patrimônios industriais da mineração de toda a regional. Todo o Estado foi afetado com a mineração e a pesquisa também serviu para observarmos como estão atualmente estes locais”, afirma Marli.

Para a reitora, o livro engradece a importância dos patrimônios culturais do Estado. “O livro apresenta as estruturas carboníferas como patrimônio cultural de Santa Catarina. Por meio de imagens muito bem elaboradas, com textos simples e que retratam a memória de toda a região. O Cedoc, por meio desta obra, se consolida, como um grande Centro de Memória e Documentação. Com financiamento da Fapesc e da Unesc, o livro nos permite refletir sobretudo sobre a extração do carvão e os marcos que a mesma produziu que a mesma produziu nos municípios do Estado”, enfatiza a reitora.

Participou também do encontro o coordenador do curso de História da Unesc, Thiago da Silva Coelho.

Saiba mais sobre a pesquisa acessando esta reportagem da FAPESC:

Pesquisadores registram memória da indústria carbonífera

Fonte: Clic A Tribuna