Conselho Superior demonstra preocupação com diminuição dos recursos da FAPESC

O secretário do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Carlos Chiodini, presidiu na manhã de 5 de dezembro a última reunião do Conselho Superior da FAPESC (Fundação e Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina) no ano. Participaram da reunião como convidados o professor André Ramos, secretário regional de Santa Catarina da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência), e João Florêncio da Silva, do departamento regional sul da FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos).

Os membros presentes do Conselho Superior aprovaram uma carta que será entregue ao governador Raimundo Colombo pelo secretário Chiodini. O conteúdo demonstra preocupação quanto aos recursos destinados à FAPESC, “que vêm sendo nominalmente reduzidos ano a ano, atingindo em 2017 níveis críticos e nunca vistos (aproximadamente 28% do devido)”, segundo o documento.

Chiodini destacou a necessidade de propagar a importância da pauta recursos para pesquisa, seja junto às universidades, ou a parcerias público-privadas. “Com o déficit de R$ 158 bilhões por ano, nós vamos ter dificuldade de viabilizar mais recursos para uma área tão importante e vital para o nosso futuro”, disse, “mas precisamos potencializar ainda mais a pesquisa, fomentando parcerias com pequenas e médias empresas que tenham a inovação como pauta, incentivando o co-financiamento”.

Em apoio às palavras do secretário, o presidente da Epagri (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina), Luiz Ademir Hessmann, falou que devido à importância estratégica e política da FAPESC, é necessário os membros do Conselho Superior demonstrarem sua preocupação com cortes de gastos às autoridades e a todos os candidatos às eleições em 2018.  O diretor da Incubadora de Empresas de Tecnologia, Carlos Eduardo de Liz, afirmou que a grande valia da FAPESC, desde que era FUNCITEC (Fundo Rotativo de Fomento à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de Santa Catarina), em 2005, foi descentralizar e interiorizar a pesquisa e a inovação, e, por isso, deve receber mais atenção das autoridades.

Entre outros temas, foram apresentados os resultados da etapa devolutiva da V Conferência Estadual de CTI, realizada em outubro, em Rio do Sul. O diretor técnico-científico da FAPESC, César Zucco, abriu a reunião mostrando os gráficos por meio dos quais foram identificados 34 objetivos estratégicos e 67 ações a serem tomadas em todo o estado em questões como infraestrutura, tecnologia e desenvolvimento. O diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da SDS, Jean Vogel, apresentou o Pacto pela Inovação, assinado por 29 entidades, incluindo a FAPESC.

 

Fonte: Coordenadoria de Comunicação da FAPESC