Empresas do Sinapse participam de curso da Universidade de Berkeley

Vinte startups do Sinapse da Inovação participam do programa Lean LaunchPad, da Universidade da Califórnia-Berkeley, baseado na metodologia de Steve Blank sobre modelagem de negócios, desde o dia 5 de dezembro. Ele foi iniciado no auditório da Escola Superior de Administração e Gerência (ESAG), um dos centros que compõem a UDESC (Universidade do Estado de Santa Catarina), e teve aulas presenciais até o dia 9 de dezembro. É ministrado por professores de Berkeley, com o apoio de mentores e professores de Santa Catarina. “Continua de forma online até fevereiro, quando acontecerá um novo evento presencial em Florianópolis para o fechamento”, observa Fernanda Konradt de Campos, Coordenadora de Projetosda Fundação CERTI (Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras, Instituição de Ciência, Tecnologia e Inovação).

b752c7f5-754b-4a77-bc46-3664dbec903f-768x576

Inspirada no projeto I-Corps, do governo dos Estados Unidos, a metodologia busca contribuir para o desenvolvimento do ecossistema de empreendedorismo e inovação, por meio do treinamento em modelagem de negócios baseada no lean startup e em outros conceitos de estruturação, qualificação, análise e avaliação de novos empreendimentos.As empresas do Sinapse sorteadas para participar do programa (3 da quarta edição do programa e 17 da quinta) contam com a ajuda de alunos de graduação dos três cursos da ESAG – Administração, Administração Pública e Ciências Econômicas – em suas equipes de trabalho, além da mentoria de grandes especialistas do ecossistema empreendedor de Santa Catarina.

Jorge Henrique da Silva, CEO da GoforGood, deixou seu depoimento sobre a participação no curso: “O curso tem sido incrível para nós. Já participei de todos os cursos e capacitações em startup e empreendedorismo, mas o Lean Launchpad é único. O foco não é em vender, nem em fazer um pitch para investidores. O objetivo é validar que você realmente resolve um problema e para isso você precisa de nada menos que 100 entrevistas em pessoa. Com professores que são a nata do que há de startups no mundo, nós fomos tirados da zona de conforto para conversar com todas as pessoas que tem que nos dizer “sim” para sermos um negócio de verdade. Parece óbvio, mas o ritmo alucinante de 20 entrevistas por semana nos faz aprender de forma intesa e inacreditável. E o impacto dessa mentalidade no ecossistema é imensurável. Agradecemos demais ao Sinapse pela oportunidade. Para mim esse curso ainda foi especial em dobro por ser uma parceria com a ESAG, onde me formei. Torço para que muitas outras startups possam passar por essa experiência.”
Fonte: Equipe Sinapse com informações ESAG/UDESC