Entidades repercutem positivamente ao primeiro encontro para definir diretrizes

Entre as ações apresentadas no encontro com o setor produtivo, uma das metas da SDS&T (Secretaria de Estado Desenvolvimento Econômico Sustentável e Turismo) é buscar a desburocratização, dinamização e aceleração dos processos, para que se tenham retornos mais imediatos.  O secretário Lucas Esmeraldino (na foto, ao microfone) reforçou que a SDS&T pretende atrair R$ 14 bilhões, ao longo da gestão, para investimentos por meio de programas e projetos. Para os próximos 100 dias a proposta é focar em 258 ações que otimizem os resultados da secretaria e impactem de forma positiva na cadeia de desenvolvimento do Estado.
O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina, Mário Cezar Aguiar, destacou o papel da Secretaria frente ao Estado que tem uma indústria forte e uma economia significativa. “A SDS&T tem o papel de fomentar este desenvolvimento ainda mais e esta abertura de dialogo é fundamental para discutir questões essenciais como melhorar as condições para o setor produtivo, tornar o Estado mais eficiente e  melhorar nossa infraestrutura, questões estas que impactam o Estado que poderão ser enfrentadas pelo governo para melhorar a competitividade de Santa Catarina”, frisou Aguiar.
O diretor de Pesquisa Científica, Tecnológica e Inovação da FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina), César Zucco, destaca que a classe produtiva é o melhor setor para orientar o que o Estado necessita. “Nós, na FAPESC, temos a preocupação de fomentar e desenvolver a ciência e a tecnologia no Estado. Então, escutar o setor produtivo e realizar este trabalho em conjunto com a SDS&T, pelo bem de Santa Catarina, será fundamental, visando maximizar retornos para Santa Catarina”, sublinha o diretor,  que representou o presidente do órgão, Fabio Zabot Holthausen, no encontro desta segunda.

O presidente da Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas e dos Empreendedores Individuais, Alcides Andrade, concluiu como positiva a esta primeira iniciativa que serviu para pontuar alguns assuntos prioritários do setor produtivo. “Agora nas próximas semanas esperamos que a SDS&T, suas vinculadas e o Governo, possam seguir em frente com estas demandas”, avaliou.

Evento SDS 4

Fotos: Guilherme Amorim/SDS
Fonte: Coordenadoria de Comunicação da FAPESC, com dados da SDS&T e Secom.