Experts debatem infecção que pode levar ao câncer

“A infecção pelo HPV é a infecção de transmissão sexual mais frequente que todas as outras somadas”, disse o Dr. Edison Natal Fedrizzi, professor de Ginecologia e Obstetrícia da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) e Coordenador do 4º Encontro de Experts em HPV (Papilomavírus humano), a ser realizado nos dias 10 a 12 de agosto, no Hotel Quinta da Bica D’Água, em Florianópolis/SC.

“Como esta infecção pode levar ao aparecimento de doenças em várias partes do nosso corpo e muitas vezes de difícil tratamento, o evento irá discutir o que há de mais novo no diagnóstico, tratamento e na prevenção destas doenças, juntamente com vários especialistas de renome nacional e internacional em várias áreas da medicina (ginecologia, urologia, proctologia, otorrinolaringologia, infectologia e pediatria) e outras áreas (estomatologia, citopatologia e imunologia)”, acrescenta o Dr. Fedrizzi, também coordenador de Pesquisa do Depto de Gineco-Obstetrícia da UFSC,  Chefe do Centro de Pesquisa Clínica Projeto HPV e Membro Efetivo da International Papillomavirus Society.

O encontro contará com 17 especialistas de renome nacional e internacional das diversas áreas da saúde, além de 10 Mesas Redondas seguidas de discussão com a plateia sobre os mais importantes temas relacionados à infecção pelo HPV. Ele tem apoio do programa Proeventos, da FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina).

No Brasil, há cerca de 700 mil infecções por HPV ao ano que podem gerar verrugas genitais e até câncer, tanto de colo de útero, vagina e vulva na mulher, anal e de orofaringe em ambos os sexos. O vírus é responsável por:

99% dos cânceres de colo de útero;
91% dos cânceres de ânus;
72% dos cânceres de orofaringe;
63% dos cânceres de pênis;
75% dos cânceres de vagina.

A prevenção por meio da vacinação será discutida no 4º Encontro de Experts, por sugestão do Centro de Pesquisa Clínica Projeto HPV, que oferece vacinas com desconto, para complementar a campanha promovida pelo SUS. A meta estipulada pelo Ministério da Saúde para 2017 é vacinar 80% das 7,1 milhões de crianças brasileiras do sexo masculino nessa faixa etária, a fim de protegê-las, inclusive, dos cânceres de pênis, garganta e ânus, diretamente ligados ao HPV.

Programação em http://projetohpv.com.br/projetohpv/

 

Fonte: Coordenadoria de Comunicação da FAPESC