Indústria farmacêutica cria empregos e gera inovação no Sul de SC

Como multiplicar por 10 a produção de medicamentos numa fábrica que mal entrou em operação? Empresários de Santa Catarina assumiram este desafio e já deram provas de sua eficiência: em dois meses aumentaram seu quadro de pessoal de 4 para 170 colaboradores. O segredo do “pulo do gato” foi apresentado no dia 6 de maio ao Prof. Fábio Zabot Holthausen, Presidente da FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina). Ele visitou o novo parque fabril da Airela Pharmacêutica, instalado no município de Pedras Grandes, numa área construída de 7 mil metros quadrados.

A empresa produz de suplementos vitamínicos a remédios para insônia, incluindo similares aos principais analgésicos e soluções para caspa, micose, varizes etc. “Os esforços da Airela em inovar contribuem ao Hub Saúde lançado em 2018, que busca tornar Tubarão uma referência nacional em inovação em serviços e produtos na área da Saúde, além de estar em sintonia com o Centro de Inovação em construção no município”, disse Holthausen, professor da Unisul que coordenou o  UniParque, Parque Científico e Tecnológico da referida universidade, além de ter atuado como Conselheiro e Secretário do Conselho Municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação de Tubarão (ao centro na foto abaixo).

 

 

A planta de Pedras Grandes estava desativada há mais 5 anos e foi comprada, em outubro de 2018, por investidores e pelos empresários Adroaldo Machado e Rodrigo Rebelo Peters, o último ex-proprietário da Tauens Farmacêutica, de Tubarão (http://tauens.com.br/). Essa empresa já produzia fitoterápicos e nos últimos anos desenvolveu duas novas fórmulas de medicamentos com a subvenção econômica proporcionada pelo programa Tecnova, operado em Santa Catarina pela FAPESC, com recursos estaduais e federais.

 

O  Tecnova fomenta a competitividade empresarial e foi pensando em aumentá-la que Tauens celebrou uma parceria com a Airela Pharmacêutica, voltada à Pesquisa e Desenvolvimento. “Hoje nós fabricamos 20 medicamentos, mas temos a proposta de chegar a mais de 200 tipos de produtos em pouco tempo e a 200 funcionários até final do ano”, diz Peters, hoje Diretor Industrial da Airela. Professor, Pesquisador e Coordenador do curso de Farmácia da Unisul (Universidade do Sul de Santa Catarina).

 

 

 

Peters e seus sócios convidaram expoentes da indústria farmacêutica brasileira para alavancar a nova fábrica. Dois ex-executivos da Natulab Farmacêutica – empresa que em 2015 alcançou a primeira posição entre os produtores de fitoterápicos no país –, Marconi Sampaio e Milton Sampaio Júnior assumiram, respectivamente, a Presidência e a Diretoria Comercial da Airela. Ambos os empreendedores se juntaram ao grupo que recebeu o presidente da FAPESC na segunda-feira “Uma grande aliança se inicia hoje. Precisamos pensar sempre no futuro e no desenvolvimento de novos produtos. A população agradece por estarmos promovendo o acesso à saúde”, salientou Sampaio.

Curativo turbinado

“Vamos precisar de pessoas e investimentos na área da inovação”, acrescenta Peters, Doutor em Farmacologia pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) e Fundador da Tauens Farmacêutica Ltda. Desenvolver e produzir produtos tópicos inovadores a base de Wilbrandia ebracteata para o tratamento de transtornos infecciosos dermatológicos relacionados aos pacientes diabéticos era o propósito inicial da Tauens, anteriormente chamada Austen Farmacêutica, quando apresentou projeto selecionado pela chamada pública Tecnova. A empresa foi além: obteve o extrato daquela planta nativa do Estado e a combinou a um filme polimérico para servir como um “curativo turbinado”, capaz de detectar bactérias, pois ele muda de cor em caso de infecção. O coordenador de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa, Luiz Alberto Kanis, disse que a fórmula está em fase de avaliação por parte da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

 

A Tauens mostrará esse e outros resultados na EXPO Tecnova, evento que engloba exposição de produtos, processos e serviços inovadores no dia 17 de maio, a partir das 14hs, na FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina). Serão apresentados os 53 projetos apoiados pela FAPESC e pela Finep (Financiadora de Pesquisa e Inovação).

 

Fonte: Coordenadoria de Comunicação da FAPESC