Pedra Branca sedia debates para reativação da Regional Sul da SBPC

A Reunião Regional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) terminou dia 8 de outubro, na Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul). A Fundação de Amparo à Pesquisa de Santa Catarina (FAPESC) esteve representada por seu presidente, Sergio Gargioni, que integrou a mesa de autoridades da abertura, junto à Professora Helena Nader, presidente da SBPC. Ambos participaram da reativação da secretaria regional da SBPC, algo esperado há tempo pela comunidade científica.

A sessão de abertura foi ministrada por João Evangelista Steiner, da Universidade de São Paulo (USP) que abordou ‘Buracos Negros: De Albert Einstein às ondas gravitacionais’.

A sessão de abertura foi ministrada por João Evangelista Steiner, da Universidade de São Paulo (USP) que abordou ‘Buracos Negros: De Albert Einstein às ondas gravitacionais’.

No dia 6, Gargioni também fez uma apresentação referente à Inovação em Santa Catarina. “Esse movimento capitaneado pela Unisul foi muito bom. É importante transformar essas pesquisas em negócios. Santa Catarina tem hoje muitas empresas de tecnologia com base em pesquisas. Cerca de três mil empresas dessa área faturam 5% do PIB catarinense. O Sistema Acafe é o propulsor desse movimento e a boa notícia é que 55% dos empresários apoiados com o Sinapse da Inovação, por exemplo, tem ou estão cursando doutorado”, revela.

O tema central dessa edição da Reunião Regional são as ‘Cidades e Sustentabilidade’. Para a presidenta da SBPC, professora Helena Bonciani Nader, a temática vai ao encontro do projeto de Palhoça para a Pedra Branca. “Uma cidade voltada para o desenvolvimento de parques tecnológicos, inovação, trazer a pessoa para morar perto do trabalho, que é um novo conceito”, pondera. Pela primeira vez o SBPC promove evento em uma Universidade Comunitária. “É especial por esse caráter comunitário da Unisul nesse ano que marca seus 20 anos na Grande Florianópolis”, completa Helena que também destacou o crescimento dos programas de pós-graduação da Unisul.

O conferencista da USP, professor João Steiner, diz que desde a criação da SBPC, em 1948 por eminentes cientistas, a entidade tem sido defensora da ciência brasileira em benefício do progresso social e econômico do país. “Ela tem feito reuniões nacionais e regionais pelo Brasil agregando o interesse pela ciência. Isso é fundamental para incentivar os jovens ao trazer cientistas de outras regiões para a troca de conhecimentos”, pontua o pesquisador.

Ao longo da reunião, houve sete conferências, uma sessão especial, nove mesas-redondas e 12 minicursos para estudantes de graduação e pós-graduação, professores e estudantes do Ensino Fundamental, Médio ou Técnico, pesquisadores, representantes de órgãos públicos e demais interessados. “Essa convergência de pesquisadores tem o significado de potencializar as iniciativas que a própria Unisul tem nesse ambiente de cidade criativa”, afirma o reitor da Unisul, professor Sebastião Salésio Herdt.

Também houve sessões de pôsteres, SBPC Jovem, Dia da Família na Ciência e o SBPC Educação. “A SBPC tem inúmeros parceiros e a Unisul intensificando essa relação teremos mais contato com os grupos de pesquisa que são vinculados à essa Sociedade”, complementa o professor da Unisul, Jorge Nogared, integrante da Comissão Científica da Reunião Regional.

Fonte: Coordenadoria de Comunicação da FAPESC com foto e dados da UNISUL