Pesquisadores debatem contribuições de ferrovias para a melhoria da qualidade de vida

Uma semana para trabalhar as contribuições das ferrovias para a qualidade de vida: esta é a ideia do Workshop em Engenharia Ferroviária promovido até sexta-feira no Bourbon Hotel, em Joinville, envolvendo pesquisadores e engenheiros envolvidos no setor. O evento é uma parceria do curso de Engenharia Ferroviária e Metroviária de Joinville, a UFSC e a Universidade de Newcastle, na Inglaterra, e conta com o incentivo do British Council, Confap (Conselho Nacional das fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa), Fapesc  (Fundação de Amparo à pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catrina) e Newton Fund.

Na abertura do encontro, realizado em inglês (dos participantes, 14 são ligados a instituições britânicas), o professor da UFSC e mentor do evento Yesid Ernesto Asaff Mendoza enfatizou que o objetivo do workshop, além de desenvolver parcerias entre as instituições de ensino e pesquisadores, é “encorajar a colaboração entre academia e setor produtivo, produzindo benefícios para ambos em longo prazo”.

Coordenador pelo lado britânico, Marin Marinov (Universidade de Newcastle) espera um resultado positivo ao final do evento. “O programa envolve várias discussões objetivas. Vamos conhecer um ao outro, fazer networking e praticar inglês. Todos relaxados para contribuir nos debates e ao, final, publicar algo”.

Acires Dias, coordenador do lado brasileiro e professor da UFSC, comentou que se dá muita pouca importância ao setor ferroviário no Brasil, e que a falta de integração e visão holística deixaram um investimento importante obsoleto. Ele espera que a eventos como este workshop ajudem jovens pesquisadores a incorporar a temática ferroviária nas atividades acadêmicas e nas indústrias em que atuam.

A diretora Centro Tecnológico de Joinville e do Campus Joinville, Catia Regina Silva de Carvalho Pinto, declarou ser uma satisfação receber um evento que busca ações para melhorar a vida das pessoas. “Também é um privilégio realizar uma parceria com uma instituição como a Universidade de Newcastle, quase contemporânea do surgimento das ferrovias e que possui talvez a maior expertise em engenharia ferroviária no planeta”.

O titular da Secretaria de Planejamento Urbano e Desenvolvimento Sustentável (Sepud) de Joinville, Danilo Conti, lembrou que Joinville não tem a mesma mobilidade de 10 anos antes e que é um presente para a cidade sediar o encontro.

Gerente de Projetos do British Council no Brasil, Camila Almeida apresentou oportunidades de financiamento de projetos, tanto de longo prazo como de eventos como o workshop, e as formas de consegui-las. “Há bastante espaço para a colaboração internacional, com pesquisadores estrangeiros”.

O encontro

Workshop em Engenharia Ferroviária tem como tema “Como a ferrovia pode contribuir com a qualidade de vida?”. Para responder à pergunta,  foram selecionados 14 jovens pesquisadores doutores no Brasil e 14 na Inglaterra, com até 10 anos de doutorado. Os trabalhos terão dois coordenadores sênior e quatro mentores do Brasil e da Inglaterra. Participam também convidados com grande experiência na temática ferroviária e metroviária.

 

Fonte: Agecom/UFSC