Após dois meses, VI Conferência de CTI encerra com apresentação dos indicadores do Estado

Abertura da conferência. Crédito: Sharlene Melanie Martins de Araújo

Após um processo iniciado em fevereiro e que contou com mais de 1,2 mil participantes em 12 encontros nas seis mesorregiões de Santa Catarina, será realizado o encerramento da  VI Conferência Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (CECTI). O evento ocorrerá nesta quinta-feira, a partir das 14h, e terá transmissão on-line. 

A conferência foi totalmente realizada no formato on-line devido à pandemia. Além da abertura, no dia 25 de fevereiro, ocorreram 12 encontros regionais – seis para a análise de percepção dos atores de CTI e outros seis para a apresentação dos resultados locais nas seguintes dimensões: instituições, infraestrutura, mercado, desenvolvimento regional, educação, ciência, tecnologia e inovação. 

“Em termos de resultado, esta edição da CECTI nos permitiu atualizar as percepções regionais sobre mais de 60 fatores que afetam o desenvolvimento técnico-científico, em cada mesorregião do Estado. Isso nos permitiu tanto comparar com as percepções da conferência de 2015, quanto verificar o impacto sobre o mapa estratégico da CTI catarinense, elaborado em 2017 por líderes de 27 organizações de Santa Catarina”, avaliou Roberto Pacheco, coordenador do Programa de Pós-graduação de Engenharia e Gestão do Conhecimento (PPGEGC) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), responsável pela metodologia da conferência.

Nesta quinta-feira será apresentado o resultado final englobando as seis regiões: Grande Florianópolis, Serra, Sul, Norte e Planalto Norte, Oeste e Meio-Oeste, Vale e Alto Vale do Itajaí. “Teremos a oportunidade de apresentar os resultados da grande coprodução que ocorreu em todas as mesorregiões do Estado, nas quais trabalharam acadêmicos, empresários, gestores públicos e colaboradores da sociedade civil, destacando tanto o que esses catarinenses registraram sobre suas percepções como os impactos para as políticas públicas e organizacionais em prol da CTI do Estado”, explica Pacheco.   

Nas sessões de análises de percepções, houve 1229 participantes, de 67 cidades de Santa Catarina. Essas pessoas estão vinculadas a 417 organizações, sendo 82 do setor acadêmico, 189 do setor empresarial, 58 do setor governamental, 146 da sociedade civil organizada, além dos 16 centros de inovação.

A VI CECTI é organizada pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE) e pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) em parceria com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e com a Rede Catarinense de Centros de Inovação.

“A partir dos dados da IV Conferência estadual de CTI, os atores locais poderão organizar seu planejamento com vistas a trilhar numa mesma direção, cooperando e alinhando esforços, recursos e ações em prol do desenvolvimento do Estado. Como executor da Política Pública de CTI, a Fapesc também utilizará as informações para ser mais assertiva em suas ações e proposições, fortalecendo nossas potencialidades e ampliando o apoio aos setores que precisam ser melhorados”, afirma Fábio Zabot Holthausen, presidente da Fapesc. 

Para o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), Luciano Buligon, a conferência de CTI é uma oportunidade para planejar o desenvolvimento do Estado. “Ao olhar para o passado para planejar o futuro, com base neste diagnóstico de diferentes perspectivas, vamos conseguir traçar metas a curto, médio e longo prazo que, por meio da ciência, pesquisa e inovação, que impulsionarão Santa Catarina na vanguarda do desenvolvimento e de novas oportunidades”. 

O encontro poderá ser acompanhado na Plataforma da VI CECTI ou no Canal da Fapesc no Youtube.

Mais informações para a imprensa:

Maurício Frighetto
Assessoria de Imprensa
Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de SC – Fapesc
E-mail: mauricio.frighetto@fapesc.sc.gov.br
Telefone: (48) 99932-4209
Site: www.fapesc.sc.gov.br